Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Medidas sanitárias na criação de búfalos

autor: Redação RuralNews
data: 16/08/2017

 
Os búfalos são animais que apresentam uma grande resistência às doenças mas que, apesar disso e como todos os animais, estão sujeitos a contrair algumas delas.

Para combatê-las devemos, em primeiro lugar, fazer com que o filhote ou bezerro, logo após o nascimento, ingira o colostro existente no leite da búfala que o pariu, pois ele contém uma série de substâncias que o protegem contra várias doenças. Por esse motivo, o criador deve fiscalizar o parto e depois controlar para que o bezerro mame normalmente.

Para que a búfala tenha uma assistência maior, ela deve ser mantida em um pequeno pasto bem limpo e que disponha de um abrigo para que ela possa nele se abrigar e esconder, com seu filhote recém-nascido. Devemos, também, cortar e desinfetar o umbigo do filhote. Ele deve receber, ainda, um vermífugo contra os vermes que o atacam, porque ele pode se infestar quando ainda na placenta da búfala ou logo após o seu nascimento, ao mamar, principalmente nos seus 2 primeiros meses de vida. Esse vermífugo deve ser dado até os 15 dias de idade.

Quando infestado por vermes, o animal fica com os pêlos foscos e ásperos, "barriga inchada" e diarréia fétida, branco-acinzentada. O seu tratamento é feito com o uso de vermífugos especiais e deve ser feito de acordo com os resultados dos exames parasitológicos das fezes do animal. Esses exames devem ser realizados periodicamente, de acordo com as necessidades ou circunstâncias.

Outros parasitas, estes externos, que também atacam os búfalos são os piolhos. Eles podem infestá-los durante toda a vida, desde novos até bem velhos, mas como são externos e bastante vulneráveis durante todo o seu ciclo evolutivo, podem ser combatidos e eliminados, com uma certa facilidade. É aconselhável, no entanto, que o seu combate comece logo no início da infestação.

Os piolhos são, realmente, os principais parasitas externos que atacam os búfalos e podem infestá-los desde o seu nascimento até a sua morte. Eles se alimentam de sangue sendo assim, hematófagos. São grandes e provocam coceira, agonia, emagrecimento e até mesmo estresse nos animais por eles infestados.

O ataque aos piolhos é relativamente fácil, porque eles são bastante sensíveis aos inseticidas. O uso desses produtos é bastante fácil, por ser feito através de banhos ou de pulverizações e deve ser feito antes do aparecimento das lêndeas, pois elas são muito mais resistentes aos inseticidas empregados. Esses tratamentos, normalmente, começam no mês de março são feitos de 18 em 18 dias.

Os búfalos machos e fêmeas, com 6 a 7 meses de idade devem ser vacinados contra o carbúnculo sintomático e somente as fêmeas, contra a brucelose, de preferência, 1 mês antes da desmama. Essa vacinação é da maior importância, pois essas são doenças mortais.

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb