Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Credores aguardam último leilão do ano da Massa Falida de Fazendas Reunidas Boi Gordo e o início do pagamento dos seus créditos

autor: Simone Rubim e André Casagrande - Sincronismo Comunicação
data: 09/12/2014

Os cerca de 30 mil credores na falência de Fazendas Reunidas Boi Gordo aguardam a realização do último leilão do ano da Massa Falida da extinta empresa, no próximo dia 15 de dezembro, em São Paulo, Capital, e o início do pagamento dos seus créditos.


Nesse último leilão estarão à venda as fazendas Realeza do Guaporé I e II, localizadas no município de Comodoro, em Mato Grosso (MT), maior e mais valiosa propriedade rural da massa falida de Fazendas Reunidas Boi Gordo, com total de 134 mil hectares, o equivalente à área urbana da cidade de São Paulo.


Com o objetivo de atingir um maior número de interessados, as propriedades foram divididas em nove blocos, de acordo com a sua vocação, havendo áreas aptas para a produção de soja e para a exploração de pecuária, além de áreas de matas úteis para a compensação de reserva ambiental. A divisão dos blocos foi efetuada pela AgroTools, empresa especializada em  geotecnologia contratada para dar mais segurança ao comprador, que elaborou um diagnóstico das propriedades e disponibilizou vídeos e imagens das fazendas,  contribuindo para a divulgação do leilão, em conjunto com a Freitas Leilões e o Canal do Boi, da Rede SBA, empresa responsável pela transmissão do evento.


O valor total das Fazendas Realeza do Guaporé I e II é de cerca de R$ 410 milhões, conforme avaliação feita em outubro deste ano de 2014, estando os blocos que serão levados a leilão avaliados em R$ 390 milhões, sendo que uma área remanescente de aproximadamente 4 mil hectares será levada a leilão no primeiro semestre de 2015.


Esses valores serão atualizados até a data do leilão, com base na Tabela do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, seguindo o processo ocorrido nos leilões anteriores. Serão aceitos lances para pagamento à vista e a prazo, e o maior lance será o vencedor, independente da forma de pagamento.


“Com o ativo arrecadado na falência até o presente momento, já será possível efetuar o pagamento integral dos credores trabalhistas”, afirma o síndico da falência, Dr. Gustavo Sauer. "Os demais, dependendo do resultado do próximo leilão, deverão ser efetuados já no início do próximo, observando a ordem de classificação prevista em lei, pagando-se os créditos tributários, que são privilegiados e, por fim, os investidores, mediante rateio”, conclui.


Segundo Sauer, “o sucesso dos leilões  anteriores, não se deve apenas à qualidade das fazendas oferecidas à venda, mas à forma transparente como foi feita a divulgação, suplementando as informações prestadas pelo site da massa, resultado da parceria entre a Freitas Leilões e o Canal do Boi”. Vale lembrar que duas das propriedades foram vendidas com ágio de até 70%.

Últimos Leilões

Entre 2011 e 2014, outras 11 propriedades da Massa Falida de Fazendas Reunidas Boi Gordo foram a leilão. São elas a Fazenda Santa Cruz, as Fazendas Vale do Sol I e II, a Fazenda Aguapeí, a Fazenda Manacá, a Fazenda Eldorado, a Fazenda Chaparral, a Fazenda Buriti, as Fazendas Alteza I e II e a Fazenda Poconé, todas localizadas no Estado do Mato Grosso, além da Fazenda Realeza, situada no município paulista de Itapetininga.


“A liquidez dos últimos leilões comprovam a força da boa divulgação e também o acerto da estratégia adotada para a venda das propriedades rurais da massa falida das Fazendas Reunidas Boi Gordo. A expectativa é que todas as propriedades sejam vendidas e que os preços superem o valor da avaliação, pois todas são produtivas e bem conservadas”, comenta o promotor de justiça de falência, Dr. Eronides Aparecido Rodrigues dos Santos, que atua nesse caso.

Sobre as Fazendas Reunidas Boi Gordo S.A

O negócio das Fazendas Reunidas Boi Gordo tomou vulto a partir de 1996 e funcionava como uma pirâmide. Consistia na negociação de contratos de investimento coletivo, à vista ou a prazo, atrelados à arroba do boi com a garantia aos investidores de rendimentos entre 3,5% e 5% ao mês, muito acima dos oferecidos pelo mercado, na época. O rendimento mínimo garantido pelos CICs (Certificados de Investimento Coletivo) de emissão da falida atrelados ao boi magro era de 42% em arrobas, para resgate em 18 meses, podendo chegar a 60% (para igual período de resgate, dependendo do valor investido pelo cliente).


Atraídos pela oportunidade de rendimento alto e aparentemente seguro, cerca de 30 mil consumidores adquiriram os títulos e acabaram lesados porque a empresa entrou em colapso no início de 2001, em razão das retiradas terem superado as entradas e a sua atividade de criação de gado produzir resultado muito inferior aos rendimentos oferecidos aos investidores. A Boi Gordo pediu concordata em outubro de 2001 e acabou tendo a falência decretada em 02 de fevereiro de 2004, deixando um passivo estimado em cerca de R$ 2,5 bilhões em valores da época.

Data do Leilão: 15 de dezembro de 2014

Horário: 16h00

Local: Casa de Portugal - Av. Liberdade, 602 – 3º andar/Liberdade- São Paulo - SP.

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb