Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Identificação precoce da ferrugem asiática na safra 17/18 exige manejo efetivo do produtor

autor: Maria Braga - Basf
data: 04/01/2018

O último levantamento de safra divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicou uma produção de 109,2 milhões de toneladas de soja no ciclo 2017/2018. Para não comprometer esse resultado, o produtor rural deve ficar atento ao manejo das doenças do cultivo, dando maior ênfase para a ferrugem asiática na lavoura de soja. 

Segundo o Consórcio Antiferrugem, parceria público-privada de monitoramento da doença, já foram registrados até o momento 18 casos em áreas comerciais nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Minas Gerais.

Osmar Conte, pesquisador da Embrapa Soja, já havia alertado para a incidência antecipada da ferrugem.

“Com a semeadura mais tardia no oeste do Paraná, uma das principais regiões produtoras do país, a doença se manifestou em uma soja no estádio inicial de desenvolvimento e deve ficar por um período maior”, afirmou o pesquisador.

O FRAC-BR, Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas, formado pelas principais empresas de defensivos agrícolas atuantes no Brasil, entre elas a BASF, fez uma alerta sobre a identificação precoce da ferrugem asiática na safra 2017/2018. 

“Neste ano a ferrugem apareceu mais cedo nas lavouras, muito pela presença do inóculo na entressafra em plantas voluntárias não eliminadas no período do vazio sanitário. Por isso é importante levar em conta a adoção de boas práticas de manejo para evitar perdas com a doença”, alerta Sergio Zambon, gerente sênior de Desenvolvimento de Mercado da BASF.   

Confira as dicas da BASF para um controle fitossanitário eficiente:

Antes do plantio:

Respeite o vazio sanitário. Com essa janela sem plantas de soja a tendência é que diminua a pressão do fungo causador da ferrugem-asiática. 

Recomendamos a escolha de sementes certificadas, com alto vigor e potencial genético para que o produtor rural assegure uma boa produtividade.

É essencial, também, fazer o tratamento das sementes. Esse manejo é fundamental para uma boa germinação e um bom estabelecimento da lavoura, livre de pragas e doenças de solo.

Utilize materiais com maior tolerância genética e, se possível, variedades de ciclos mais precoces.

Mantenha a fertilidade do solo e faça a adubação de base bem feita.

É importante planejar o plantio para a época mais recomendada em cada região. O período ideal da semeadura auxilia a cultura a alcançar o máximo potencial produtivo. 

Siga as recomendações sobre o estande mais adequado para cada cultivar que será utilizada na lavoura. Essa técnica influencia diretamente na produtividade da soja.

Lavoura estabelecida:

Com o plantio finalizado, o produtor precisa fazer um monitoramento constante das doenças no cultivo de soja.

Priorize o manejo preventivo da ferrugem-asiática ainda no estágio vegetativo da planta.

Para ser mais assertivo no manejo faça as aplicações dos fungicidas nos intervalos e doses indicados na bula.

É muito importante rotacionar fungicidas com diferentes mecanismos de ação como Triazóis, Estrobilurinas, Carboxamidas, Morfolinas e Multissítios. 

A efetividade do controle químico passa pela escolha adequada da tecnologia de aplicação e pelo gerenciamento dos maquinários utilizados nas lavouras, podendo contribuir com a redução de até 30% do custo operacional do produtor rural.

Associe os fungicidas multissitios em todas as aplicações visando um melhor controle e manejo da resistência do fungo.

Após colheita:

Faça a rotação de culturas. Esse manejo auxilia no combate de doenças, pragas e plantas daninhas. Também beneficia a reciclagem de nutrientes, a cobertura e proteção do solo, pois os resíduos dos cultivos de inverno são bons para as áreas que receberão a soja.

Atenção: não plante soja safrinha. Plantar soja sobre soja aumenta consideravelmente o risco de pragas e doenças, principalmente da ferrugem-asiática, aumentado a exposição dos fungicidas ao fungo.

Elimine a soja voluntária, também conhecida como guaxa, que fica na lavoura após a colheita ou no acostamento das estradas que carregam o grão.


« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb