Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Cuidados com o leitão recém-nascido

autor: Redação RuralNews
data: 14/04/2016

Prestar assistência no parto é uma medida necessária e indispensável para que possamos garantir a vida e a saúde do leitão. É muito comum, quando não há um acompanhamento do parto, que os leitões morram envoltos nas membranas fetais, por este motivo, a pessoa que acompanha o parto deverá tomar uma série de medidas e precauções. Após o nascimento, as membranas devem ser removidas e o leitão seco com papel toalha, o cordão umbilical precisa ser cortado e desinfetado e, se possível, cortar ou aparar os dentes, para facilitar as mamadas.

Após estes procedimentos, o leitão deve ser colocado, imediatamente, junto ao úbere da porca, para que faça a sua primeira mamada, que é de grande importância para o bom desenvolvimento do animal. Nesta primeira mamada o leitão ingere o colostro, que é o leite produzido pela porca logo após o parto, o qual contém substâncias que geram maior resistência imunológica para o leitão, além de ser altamente nutritivo.

Quando os leitões não ingerem o colostro ou, por algum motivo, não o ingerem em quantidade suficiente, muitos problemas podem acontecer, como falhas imunológicas que podem facilitar o aparecimento de doenças que podem até mesmo causar a morte do animal.

O colostro é produzido pela leitoa apenas por algum tempo após o parto e sua composição se altera rapidamente, com a diminuição do nível de anticorpos. Nas primeiras 6 horas após o parto, o nível do colostro já é 50% menor e, normalmente, acaba após um período de 10 horas depois do parto. Por isso, colocar os leitões o quanto antes para ingerir o colostro é uma questão de vida ou morte, para que se evite a mortalidade pré-desmame.

Como podem existir grandes diferenças de porte e tamanho entre os leitões, os menores sempre levam desvantagem na hora das mamadas: os leitões maiores acabam mamando mais, deixando uma quantidade menor de colostro para os menores. Isso deve ser analisado pelo criador que precisa tomar medidas que garantam o acesso ao colostro para os menores leitões, os mais fracos. Como cada leitão recém-nascido mama de hora em hora, os menores ingerem cerca de 20ml e os maiores chegam a mamar 100ml, o criador deverá manejar os horários e o tempo das mamadas, para que os menores não sofram em demasia, pela falta do colostro.

O objetivo do criador é sempre manter os leitões recém-nascidos em condições favoráveis, para que estes possam se desenvolver o máximo possível, da melhor maneira. Sob este aspecto, o controle ambiental, ou seja, controle da temperatura ambiente, é de vital importância. Este controle da temperatura ajuda a definir a quantidade de colostro que cada leitão ingere: em temperaturas mais baixas, os leitões chegam a ingerir 60% menos colostro, do que os recém-nascidos que estão em um ambiente com temperatura entre 30 e 32 ºC. Portanto, o controle da temperatura ambiente é, como já dissemos, de vital importância.

Outra importante providência a ser tomada logo após o nascimento é a caudotomia, ou seja, o corte da cauda do leitão, deixando apenas 1/3 desta. Esta medida visa evitar que os porcos mordam as caudas, um dos outros, nas baias, praticando o canibalismo. 

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb