Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Criação doméstica de galinhas

autor: Redação RuralNews
data: 02/05/2018

Todo proprietário rural, seja de uma fazenda ou sítio, independentemente do tipo de produção ou atividade principal realizada na propriedade, pode desejar produzir alguns itens alimentícios, para consumo de sua família e, eventualmente, comercializar ou mesmo doar o excedente desta produção "doméstica". Dentre as possibilidades, uma das mais apropriadas é a criação de galinhas, para fornecimento de carne e, principalmente, ovos. As galinhas são as aves mais criadas em todo o mundo e seus ovos são, também, os mais consumidos.

Quando quisermos ter algumas galinhas soltas, é necessário que tenhamos um galinheiro, mesmo que seja rústico, para abrigá-las durante a noite ou nos dias chuvosos. Esse galinheiro deve ser fechado com tela de arame e serve, também, para prendermos as galinhas, todos os dias, pelo menos até às 10 ou 11 horas da manhã, para que a maior parte delas bote os ovos dentro dos ninhos aí colocados. Quando isso não é feito, elas fazem seus próprios ninhos "no mato", sendo muitas vezes, difícil encontrá-los e, quando o fazemos, os ovos podem já estar velhos ou estragados, a galinha os está chocando ou já com os pintinhos nascidos.

A coleta dos ovos deve ser feita todos os dias e neles deve ser escrita a data de postura. Quando uma galinha fica choca, devemos preparar um ninho de palha, podendo a galinha "deitar" 13 a 15 ovos, dependendo do seu tamanho. À certa distância do ninho devem ser colocados, sempre, água e comida.

A eclosão se realiza em 21 dias, nascendo os pintinhos que devem ficar no ninho até que toda a ninhada haja nascido sendo, então, levados junto com a galinha, para um galinheiro seco, de preferência com uma cama de palha, de sabugo de milho ou de maravalha fina, onde são soltos.

Sobre uma tábua, folha de jornal ou papel, colocamos um bebedouro e um pouco de quirera de milho ou ração balanceada, para facilitar os pintinhos a ciscarem e a descobrirem a comida. Depois de alguns dias, com o tempo bom, com sol, eles já podem ser soltos.

O problema da galinha caipira é que bota pouco mas, em compensação, os gastos com ela são muito pequenos. Nem sempre, porém, podemos criar galinhas soltas, porque elas podem estragar hortas, jardins e outras plantações, além de sujarem tudo por onde passam. Nesse caso, podemos adotar o método de criação em confinamento.

Criação em confinamento

Os resultados são bem melhores do que os obtidos com o método anterior. Podemos utilizar instalações simples, práticas e funcionais, de baixo custo. Para atingirmos os objetivos de suprir uma família com carne e ovos, com fartura, o mais indicado é que tenhamos 20 galinhas poedeiras, com uma produção média de 14 a 16 ovos por dia, o que é mais que suficiente para o consumo de uma família bem grande e, ainda, com sobras. Com base nos dados anteriores, podemos facilmente calcular o número de aves necessárias para que tenhamos uma produção menor ou maior, de acordo com as necessidades específicas de cada família.  

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb