Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Grilos como alimentos vivos

autor: Redação RuralNews
data: 14/05/2014

 
O grilo doméstico (Gryllus domesticus) necessita de uma temperatura elevada para viver, sendo muito sensível às baixas temperaturas. Este fato é de muita importância quando vamos fazer sua criação.

São bons alimentos para rãs, sapos, lagartos pequenos e médios, camaleões, tartarugas pequenas, salamandras, pássaros, principalmente para os das espécies insetívoras e também os omnívoras e frugívoras, com filhotes, pintinhos, filhotes de codorna, etc.

São encontrados principalmente em locais quentes como padarias, velhos fornos de tijolos e outros locais que se mantenham quentes ou que conservam algum calor, onde permanecem durante o dia, só saindo à noite.

Para "caçá-los" basta colocar armadilhas feitas com latas vazias, caixas de plástico, vidros vazios, etc., com um pedaço de pão ou de fruta, dentro, servindo de isca. Essa armadilha deve ficar encostada a uma parede, para que os grilos possam chegar à isca. Podemos, também, com o mesmo objetivo, fazer uma "ponte" com um pedaço de papelão, para que eles penetrem na armadilha.

Criação

Não deve ser feita em aquários de vidro, porque a produção é muito pequena. Para isso, é necessário que adotemos caixas de criação com características especiais incluindo, em climas frios ou em invernos rigorosos, um aquecedor e um termostato, para que a criação seja realizada em boas condições, durante todo o ano.

A caixa de criação deve ser de madeira e medir 70x50x25cm. Deve possuir 2 fundos (fundo duplo) com um espaço de 3cm entre eles. Nesse espaço será instalado o aquecedor. Por isso, deve ser aberto somente em uma das cabeceiras. As faces internas, entre os dois fundos, devem ser revestidas com uma folha de metal ou então de fórmica, devido ao calor irradiado pelo aquecedor. Uma das tampas da caixa pode ser de vidro, para proporcionar claridade.

Devemos colocar, no fundo da caixa, uma camada de terra, mas ela deve ser mantida sempre aquecida. A tampa da caixa deve ser dividida em 3 partes: a central, fixa e as 2 laterais, móveis, dando acesso ao seu interior.

A caixa de criação deve ter uma camada de 5cm no fundo, composta de 1/3 de calcário argiloso, 1/3 de húmus e 1/3 de areia fina, mas que deve ser mantida sempre aquecida. Podemos colocar sobre ela, uma camada de folhas secas, formando uma boa cobertura.

Para capturarmos os grilos, basta deixarmos garrafas vazias, durante a noite, dentro da caixa de criação. No dia seguinte, pela manhã, abrimos a caixa e imediatamente viramos as garrafas de boca para cima. Basta, depois, escolher os grilos que desejarmos para alimentar os animais.

Alimentação

Podemos dar aos grilos, como alimentos, frutas, alface, cenoura, ou farelo de pão seco, mas somente o suficiente para ser consumido em 24 horas.

Reprodução

As fêmeas botam os seus ovos alongados na cama de terra. A eclosão se realiza em mais ou menos 14 dias, deles saindo as larvas conhecidas como ninfas. Elas se desenvolvem rapidamente, atingindo a puberdade ou maturidade sexual com 8 semanas ou menos de idade.
 
 
 
 
 
 

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb