Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Criação de pirarucu em cativeiro

autor: Redação RuralNews
data: 06/05/2019

A criação do pirarucu, esse raro peixe de água doce oriundo da região amazônica, é uma realidade em nosso país. Com a possibilidade deste tipo de criação, a pesca predatória pode ser reduzida, fazendo com que essa espécie fique mais distante dos perigos da extinção.

É um peixe carnívoro e muito voraz, fazendo-se necessário que se tenha disponibilidade de carne para alimentar a criação. Para tal, é necessário que se crie peixes forrageiros, como a tilápia ou ainda camarões-canela, para que se possa alimentar os pirarucus.

Para que se produza de maneira viável os peixes forrageiras, técnicos da EMBRAPA indicam a sua criação em açudes utilizados para o banho de búfalos, pois os dejetos desses animais formam uma ótima matéria orgânica que auxilia a engorda dos peixes forrageiros.

O pirarucu oferece uma carne muito saborosa, sem espinhos e que pode atingir até 250kg por peixe. Em uma criação comercial, em uma área de 10 ha, é possível se produzir 10 toneladas por ano deste peixe que apresenta um alto valor de mercado. Para que se obtenha melhores condições de venda para o peixe, este deve ser vendido fresco.

Instalações necessárias

Segundo técnicos da EMBRAPA, o pirarucu necessita de 5 a 10 m² de viveiro, por peixe, e um vertedouro d'água, que permita a secagem do tanque para a despesca.

O tanque deve ter uma profundidade média de 80cm. De acordo com as dimensões do tanque a velocidade de crescimento do pirarucu também varia. De qualquer forma, é um peixe de rápido crescimento.

Reprodução

Como o pirarucu só realiza a primeira desova quando atinge cerca de 40kg, isto torna-se impossível em cativeiro. Para contornar esse problema é necessário que haja um lago na propriedade e que lá sejam criados pirarucus, não menos do que 20, pois não é possível identificar o sexo até pouco antes da desova. Com isso, haverá uma produção de alevinos (filhotes) após o terceiro ano que são pescados com tarrafa.

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb