Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Como a localização pode influenciar na implantação de um ranário

autor: Redação RuralNews
data: 19/10/2017

 
Quando pretendemos implantar um ranário, devemos tomar uma série de precauções ou medidas, levando em consideração que há um conjunto de condições para que, não só possamos construi-lo mas para que ele seja economicamente viável, proporcionando os lucros esperados. Assim sendo, devemos examinar a questão da localização, uma das mais importantes, sob diversos aspectos, entre eles, os seguintes:

Clima

O clima da região em que vamos implantar o ranário é um fator decisivo na produção comercial ou intensiva de rãs. Devemos levar em consideração, também, as possibilidades de suas variações serem mais ou menos bruscas, o que é bastante pernicioso para as rãs.

De um modo geral, podemos afirmar que a ranicultura é possível em todo o território brasileiro, desde que proporcionemos às rãs, as condições mínimas por elas exigidas.

Temperatura

É de grande importância, porque atua diretamente sobre o metabolismo das rãs, em todas as suas funções orgânicas, acelerando-o ou retardando-o, chegando mesmo a paralisá-lo (neotenia). Na prática, as temperaturas mais elevadas, normais para as rãs, significam maior rapidez na incubação dos ovos, maior velocidade durante a metamorfose e, portanto, precocidade, atingindo com maior rapidez os pesos desejados (maior ganho de peso) e o estado adulto, entrando em reprodução mais cedo.

Teremos, assim, rãs maiores e mais pesadas, em menor tempo, o que representa maiores lucros e um giro de capital mais rápido. Além disso, temperaturas mais elevadas concorrem para maior produção de insetos e outros animais que vão servir de alimento para as rãs. Julgamos, por essas razões, que os ranários devem ficar localizados em regiões cujas temperaturas médias sejam superiores a 20 ºC e ideal entre 22 e 32 ºC. Sob este aspecto, as regiões Norte e Nordeste do Brasil são ideais, porque suas temperaturas são quase constantes e sem quedas ou mudanças bruscas, indo de 20 a 32 ºC e oscilando, normalmente, entre 28 e 30 ºC.

Temperaturas inferiores às citadas atrasam a criação e a produção das rãs em todas as suas fases de vida ou idades, principalmente durante a metamorfose. As temperaturas acima de 35 ou 36 ºC podem causar prostração e inapetência nas rãs.

Altitude

É outro fator muito importante. Quanto mais baixa a altitude, maior é a oxigenação do ar e, indiretamente, da água, o que é de grande importância para ovos, embriões e girinos. Além disso, nessas regiões, a temperatura é sempre mais elevada do que nas montanhas, nas quais são sempre mais frias e sujeitas a quedas e variações bruscas.

Umidade relativa do ar
 
É outro elemento a ser considerado, pois devemos criar rãs nas regiões mais úmidas, isto é, com maior umidade relativa do ar que, neste caso, deve oscilar em torno de 80%.

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb