Home  Quem Somos  Cadastre-se  Anuncie no Rural News  Fale Conosco 
Busca
 

 

 
Enquete
Qual a sua área de atuação profissional?
Agricultura
Pecuária
Agricultura e Pecuária
Outra área dentro do setor rural
Fora do setor agropecuário

 

 Indique este site

Criação de carpas

autor: Redação RuralNews
data: 29/01/2020

A carpa é um dos peixes mais criados em todo o mundo, entre outros motivos, porque resiste às mais variadas temperaturas, podendo viver desde 0 ºC até 40 ºC. Além disso, a carpa apresenta as qualidades desejáveis para uma piscicultura produtiva:

- grande resistência e adaptação aos diversos climas em que é criada;

- seu comportamento social;

- precocidade;

- facilidade de alimentação, pois são planctófagas omnívoras;

- prolificidade;

- fácil produção em tanques, pois praticamente se reproduzem em qualquer água parada, por menor que seja;

- são bem aceitas pelo mercado, para consumo humano e como fonte de alimentação em ranários, além de muitas outras aplicações comerciais como pesqueiros do tipo pesque-e-pague.

Como já mencionamos, as carpas são muito prolíferas, precoces e com rápido crescimento, "botando" de 100.000 a 300.000 ovos por desova, embora somente 10% se transformam em peixes.

Seu comportamento, em relação às diversas temperaturas, é o seguinte:

- até 5 ºC, não se alimentam;

- até 13 ºC, o seu desenvolvimento é muito pequeno;

- só se reproduz com temperatura acima dos 20 ºC;

- seu maior desenvolvimento ocorre em água com temperatura de 28 ºC.

A criação de carpas, em açudes ou represas, não é aconselhável, porque o desfrute é muito pequeno, principalmente devido à perda de ovos e de larvas, que é muito grande, pois as próprias carpas, maiores, os devoram. Além disso, a mortalidade de larvas e alevinos é muito grande, em conseqüência de uma alimentação inadequada.

Para evitar os problemas acima mencionados, o melhor é fazermos uma criação racional de carpas, pois os resultados são realmente os melhores e os mais satisfatórios. Para isso, devemos fazer a criação em tanques. Neste caso, devemos dispor de um conjunto de tanques de reprodução; tanques de 1ª alevinagem; tanques de 2ª alevinagem e tanques de engorda.

Número de machos para cada fêmea

Devemos manter 2 machos para cada fêmea, para maior garantia de fecundação dos óvulos. À medida que as fêmeas vão expelindo os óvulos, os machos vão soltando os espermatozóides, para que os fecundem.

Distinção dos sexos

É fácil, 1 mês antes da reprodução.

- machos - são menores que as fêmeas. Se, com os dedos, fizermos uma compressão em sua barriga e na direção do seu orifício anogenital (ânus) sai dele um líquido branco leitoso, que é o seu esperma ou sêmen, contendo os espermatozóides.

- fêmeas - são mais volumosas e desenvolvidas do que os machos. Quando comprimimos seu ventre, da mesma forma que o fazemos nos machos, sai, do seu orifício anogenital, um líquido sanguinolento e, junto com ele, alguns óvulos. Além disso, os órgãos genitais das fêmeas ficam muito mais salientes e avermelhados.

« voltar

Indique a Matéria
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do Amigo:
Email do Amigo:
Comentários:

 

 

Publicidade
Info Rural News
Proibida a cópia e reprodução total ou parcial por qualquer meio ou processo, sem autorização expressa do Ruralnews.
Copyright 2005. © RuralNews - Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Pontaweb